clean-5

Touros e Região

Em geral

Politica

DICAS DE BELEZA

famosos

TV

» » Micarla de Sousa, prefeita de Natal afastada, recebia propina, afirma MP

Prefeita afastada Micarla de Souza
Jean Valério e Bosco Afonso pediram exoneração
em caráter irrevogável 

A prefeita de Natal afastada, Micarla de Sousa (PV), recebia propina, segundo investigação realizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte. O dinheiro ilícito, ainda de acordo com as denúncias reveladas ontem, terça feira (6) pelo Tribunal de Justiça, tinha origem em empresas prestadoras de serviços ou fornecedoras de produtos contratados pelo Município para gerir unidades de saúde na cidade. A assessoria de comunicação de Micarla diz que ela nega as acusações.
Ainda de acordo com o MP, a propina recebida era utilizada no pagamento de despesas pessoais da prefeita, cujos gastos passam de R$ 130 mil mensais. As investigações analisaram documentos apreendidos nas residências e gabinetes de secretários municipais durante a deflagração da Operação Assepsia, em junho deste ano, e que foram publicadas também nesta terça após quebra do sigilo judicial de parte da acusação impetrada pelo órgão ministerial contra Micarla de Sousa, e os ex-secretário Jean Valério e Bosco Afonso.
Micarla foi afastada do cargo de prefeita de Natal na última quinta-feira (1º) em decorrência de seu suposto envolvimento no esquema de desvio de recursos públicos. O pedido de quebra de sigilo da denúncia protocolada na Justiça potiguar contra a então prefeita foi deferido em parte pelo desembargador Amaury Moura Sobrinho. Em 86 páginas, o procurador-geral de Justiça, Manoel Onofre de Souza Neto, esmiúça o que caracterizou como "uma verdadeira rede de corrupção", tendo como uma das principais responsáveis Micarla de Sousa. A denúncia, porém, não se restringe à prefeita afastada. Ela detalha, ainda, a participação dos ex-secretários municipais, Jean Valério Gomes Damasceno e João Bosco Afonso, nos crimes contra o erário municipal. O marido de Micarla de Sousa, o radialista Miguel Henrique Oliveira Weber, conforme detalhou o órgão ministerial, também é apontado como articulador do esquema.
Para embasar a acusação, o procurador-geral de Justiça fez um breve histórico de como foram iniciadas as investigações envolvendo Micarla de Sousa e os demais citados. O Procedimento Investigatório Criminal nº 106/2012 - PGJ contra a então prefeita de Natal foi instaurado no dia 9 de julho passado, menos de 15 após a deflagração da Operação Assepsia. Foi justamente nesta operação que os promotores de Defesa do Patrimônio Público se depararam com documentos apreendidos nas casas do ex-secretário municipal de Planejamento, Antônio Luna, e do então coordenador financeiro da Secretaria Municipal de Saúde, Francisco de Assis Rocha Viana, que mencionavam despesas e a movimentação financeira de Micarla de Sousa.

Genubia Soares

Radialista - DRT/RN 1.383,blogueira.Busco atualizar o meu conhecimento quanto ao que acontece no dia a dia para com qualidade repassar aos demais interessados .
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Touros em Destaque