clean-5

Touros e Região

Em geral

Politica

DICAS DE BELEZA

famosos

TV

» » Marco Maia cobra cumprimento de acordo para votar royalties na terça


O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), disse nesta quinta-feira (1º) esperar que "seja cumprido" o acordo firmado entre líderes da base aliada para votar na próxima terça (6) o projeto que altera o sistema de partilha dos royalties do petróleo.
"Temos acordo político para votar na terça-feira que deverá ser cumprido na sua integralidade. Neste momento, tenho me sentido quase como uma voz solitária na defesa da votação dos royalties. Não sei se só entrevistam a mim, mas isso interessa aos governadores, aos prefeitos, às bancadas que representam o interesse dos estados. Tenho convicção de que o tema mobiliza a todos os deputados", afirmou o presidente da Câmara.
Maia voltou a afirmar que, caso o governo tente impedir a votação com o envio de medidas provisórias que trancam a pauta, mais nenhuma MP será votada em comissões.
Segundo ele, o governo já atuou para o acordo e deve agora deixar a votação com o Congresso.
"Acho que o governo tem interesse de votar os royalties, o governo terá que realizar novos leilões, há interesse. Por isso, volto a dizer que, neste caso específico, o governo deveria deixar a Câmara resolver. A parte do governo está resolvida, precisamos acabar de uma vez por todas com essa discussão, a nova distribuição dos royalties do petróleo, porque interessa ao Brasil, a todos os estados, os municípios."Maia comentou ainda a intenção do relator do projeto dos royalties na Câmara, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), de incluir no relatório a destinação de 100% dos recursos da extração de petróleo para a educação. Zarattini disse que a medida renderá R$ 16 bilhões para o setor em 2013 e R$ 36 bilhões, em 2020.
"A ideia é meritória, todos queremos mais e mais recursos investidos na educação. Tanto que na discussão do PIB discutimos que seja destinado 10% do PIB para educação, exatamente pela preocupação que temos de bancar mais recursos na educação. Proposta nesse sentido será acatada, não tenho dúvida que será acatada, mas talvez não na sua integralidade. Não dá para tirar dinheiro dos municípios ou dos estados para colocar exclusivamente na educação, porque há outras prioridades, como saúde, ciência e tecnologia, infraestrutura."
Para o presidente da Câmara, porém, é possível destinar toda a parte que seria do governo federal para a educação.
"Se pegarmos a parte do governo federal e carimbarmos e dissermos que todos devem ser investidos na educação, como pretende [a presidente] Dilma [Rousseff], estaremos dando contribuição inestimável. É um acordo possível."

Genubia Soares

Radialista - DRT/RN 1.383,blogueira.Busco atualizar o meu conhecimento quanto ao que acontece no dia a dia para com qualidade repassar aos demais interessados .
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

Touros em Destaque